30 de agosto de 2010

Livros lidos em 2010 - parte I



Pensei em fazer esse post no final do ano, mas acho que ficaria muito loooongo, então decidi fazer em duas partes: primeiro e segundo semestre.
Alguns livros tem resenha. Pra quem tiver interessado é só clicar no link.
Então aqui vai os livros lidos de Janeiro a Junho desse ano:

1-Pride and Prejudice - Jane Austen
2-Bebê à vista - Anne McAllister (resenha aqui)
3-De volta, o amor! - Kate Denton
4-O mistério da estrela - Neil Gaiman (resenha aqui)
5-When God winks at you - Squire Rushnell
6-Lolita - Vladimir Nabokov (resenha  aqui)
7-Irresistible forces - Brenda Jackson
8-My soul to lose - Rachel Vincent
9-Serial - Jack Kilborn & Blake Crouch
10-De amor e de sombra - Isabel Allende (resenha aqui)
11-Casório?! - Marian Keyes (resenha aqui)
12-Hide in plain sight - Marta Perry
13-O livro de Salema - Arlete Castro (resenha aqui)
14-O diabo veste Prada - Lauren Weisberger (resenha aqui)
15-The hunters - Jason Pinter
16-PS, eu te amo - Cecelia Ahern (resenha aqui)
17-Chronicles of Narnia: The lion, the witch and the wardrobe - C.S.Lewis
18-Chronicles of Narnia: Prince Caspian - C.S.Lewis 
19-Chronicles of Narnia: The voyage of The Dawn Treader - C.S.Lewis
20-As rosas da morte - Mary Higgins Clark (resenha aqui)
21-Careless in red - Elizabeth George (resenha aqui)
22-Comédias para se ler na escola - Luís Fernando Veríssimo
23-As mentiras que os homens contam - Luís Fernando Veríssimo
24- O jardim do Diabo - Luís Fernando Veríssimo
25-The dark tide - Andrew Gross
26-Os homens que não amavam as mulheres - Stieg Larsson
27-The killing room - John Manning
28-Nudez mortal - J.D.Robb
29-Glória mortal - J.D.Robb
30- Eternidade mortal - J.D.Robb
31-Êxtase mortal - J.D.Robb
32-Cerimônia mortal - J.D.Robb
33-Vingança mortal - J.D.Robb
34-Natal mortal - J.D.Robb
35-Midnight in death - J.D.Robb
36-Conspiração mortal - J.D.Robb
37-The girl who played with fire - Stieg Larsson
38-The girl who kicked the hornest's nest - Stieg Larsson
39-Dear John - Nicholas Sparks
40-Chronicles of Narnia: The silver chair - C.S.Lewis
41-The wedding - Nicholas Sparks
42-Wounded healer - Donna Fleisher
43-Luzia-Homem - Domingos Olímpio
44- The DaVinci Code, a response - Nicky Gumbel
45-A filha secreta - Lisa Gardner



PS: Da lista foram subtraídos 4 livros que terão uma resenha posteriormente, estes serão acrescentados à lista do segundo semestre.

PS do PS: Será que consigo meu objetivo que é além de quebrar meu próprio recorde de livros lidos em 1 ano  é também ler 100???? 

29 de agosto de 2010

Os livros da minha vida.



 Mais um MEME, copiado da minha fonte de inspiração (e bandidagem, ops, não posso comentar sobre isso, somos adultas!), Cíntia. 
Fique à vontade pra copiar também.

 

Livro de Infância: Coleção de contos de fada da Ediouro, incluindo a série do Rei Canequinho. Foram os primeiros livros que ganhei na vida. Eu estava na primeira série, aprendendo a ler, já usando óculos e meus pais compraram pra mim. Acho que foi aí que comecei a virar uma leitora compulsiva, li e reli esses livros durante anoooos.
 Ah e a série vaga-lume da Ática quando eu já estava mais crescidinha.
 
Personagem que queria ser: Tantos... kkkkk Mas seriamente, acho que a Katie ou Selena das Séries de mesmo nome da Robin Jones Gunn.
 
Primeiro livro enorme que lembra de ter lido: Não tenho certeza, mas acho que foi Primo Basílio, do Eça de Queiroz para o vestibular.
 
Filme que ficou melhor do que o livro: Difícil... Sempre acho os livros melhores, mas vou ter que citar Um amor para recordar, de Nicholas sparks, amei tanto o livro quanto o filme em pé de igualdade.
 
Livro que te fez sonhar acordada: Todos das séries Cris, Selena e Katie.
 
Livro que te fez chorar: Vai ser mais que um, a lista é grande kkk: Ciranda de Pedra (Lygia Fagundes Telles), Uma carta de amor (Nicholas Sparks), Pássaros Feridos (Colleen Mccullough), O caçador de pipas (Khaled Hosseini), My sister's keeper & Handle with care (Jodi Picoult), tem mais alguns, mas vou parar por aqui se não vou começar a chorar de novo (Tá bom, tá bom, eu sou chorona, confesso!)
 
Livro que te fez rir: Diary of a wimpy kid (todos da série), de Jeff Kinney. E antes que me crucifiquem por eu (ainda) gostar de livro infanto-juvenil, vou avisando. EU AMO literatura infanto-juvenil e vou ler pra sempre kkkkk. Ah e Minha família é um barato, de Christopher Paul Curtis (muito engraçado!).
 
Livro que mudou a sua vida: Sem sombra de dúvida a Bíblia.
 
Livro que te causou dor: Tem vários, mas vou escolher só um porque me lembro que fiquei deprimida a semana inteira depois que acabei de ler, Uma só vez na Vida, de Danielle Steel
 
Livro de cabeceira: O pequeno príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry (lindo). Ah entra na lista dos que me fez chorar também kkkk ;e ainda não comprei, mas amei ler o Dia do Curinga, de Jostein Gaarder (mesmo autor de O mundo de Sofia).
 
Livro comercialzão: Com certeza Twilight (é Cíntia, infelizmente eu também gostei kkk).
 
Querido escritor:  A Robin (olha a intimidade), Marcos Rey, Marcos Bagno, só pra citar alguns de diferentes estilos. Meu coração sempre cabe mais um.
Sente vergonha por não ter lido: What's so amazing about grace? (Maravilhosa Graça), do Phillip Yancey, já comecei e não terminei, mas vou terminar!!!
 
Não suporta:Os livros do Paulo Coelho, já tentei ler várias vezes, mas não desce na garganta, ou melhor, nos olhos kkkkk
 
Para os apaixonados: É o que mais tem, mas os de Nicholas Sparks realmente merecem destaque ao longo da minha vida.
 
Livro sensual: hehehehehe Romance de banca oras... aquelas porcarias kkkkkk
 
Para quando quiser ficar feliz: Comédias para se ler na escola, de Luís Fernando Veríssimo e Gol de padre e outras histórias, de Stanislaw Ponte Preta. 

Para quando faltar esperança: A Bíblia, os Salmos de preferência.

Livro que ganhou e nunca leu e nem vai ler: Memórias Póstumas de Brás Cubas, do Machado de Assis. Já tentei ler mais de 3 vezes e nunca consegui.
 
Para quando for preciso paciência: Um livro de terror ou suspense, tipo Stephen King (kkkkk só pra citar que eu gosto dele também.)

Livro que comprou e nunca leu: Secrets, de Robin Jones Gunn. Não sei porque ainda não li. Tô sempre colocando outros na frente.

Biografia: Não leio muita biografia mas me lembro que gostei de Olga Benário, de Fernando Morais. Teve a minissérie na Globo baseada nesse livro.

Para garotas: O diário da princesa, de Meg cabot e as já citadas séries Cris, Selena e Katie, de Robin Jones Gunn (ela é ou não é minha autora preferida?)

Difícil: Livro do período Realista. Aquelas descrições da mosca que pousou no abajur acaba com minha compulsão momentaneamente.

Para quem gosta de escrever: Qualquer livro que não tenha matemática quântica hehehehehe)

Leitura de teatro: Só consigo lembrar de Shakeaspeare. 

Conto gostoso de ler: Gostei de Melhores contos, de Lygia Fagundes Telles (não dá pra escolher só um) e O Homem nu, de Fernando Sabino.

Não conseguiu terminar: Tem vários aqui na fila pra terminar, impossível escrever o nome de todos.

Está na fila: 192837746463 livros na fila kkkk. Tá bom, urgentemente são os 6 da Tess Gerritsen que eu peguei na biblioteca.

Livro que daria de presente: Uma vida com propósito, de Rick Warren. É simples, direto ao ponto e uma ótima maneira de evangelizar.

Pérola encontrada nos sebos: Cais da Sagração, de Josué Montello (meu conterrâneo)

O que está lendo agora: The Pact - a love story, de Jodi Picoult; e o evangelho de Mateus na Bíblia.


Prontinho! Tem muito mais livro que fez parte da minha vida e que ainda faz, mas não dá pra lembrar tudo, né?
Então? Gostou? Pode copiar, mas me avisa pra eu poder dar uma olhada nas suas respostas também.

Um grande abraço! 

28 de agosto de 2010

Seis anos depois (Para meu pai - in memoriam)

                                Meus pais em 2000. Convento das Mercês em São Luís, MA. Comemoração
                                          do "Brasil 500 anos".

 

A dor realmente ameniza com o passar do tempo, você volta a sorrir, a ter esperança, a fazer planos, mas fica sempre faltando um pedaço que nada nem ninguém completa. Aquele vazio permanece com você não importa se você vai para muito muito longe tentando encontrar respostas, ou até mesmo tentando se encontrar. Sua vida se divide em duas partes: Antes e Depois da tragédia. Você guarda sua caixinha de lembranças tão avidamente como se fosse um tesouro valioso. Com o passar do tempo talvez você não consiga mais lembrar o som da voz (não se culpe por isso), mas você ainda sente o cheiro, você lembra uma piada, uma expressão, uma frase dita por aquela pessoa que você amava. Ah e você sonha... No início os sonhos são voltados a negação da realidade: "Houve um terrível engano", e você sonha que aquela pessoa vai entrar pela porta da frente como sempre seguindo a rotina da vida. Depois os sonhos se tornam menos densos e dolorosos, talvez você até pare de acordar chorando no meio da noite. 
Seis anos depois eu ainda sonho, e nos meus sonhos eu o abraço e sinto o cheiro característico da pele queimada pelo sol, eu o abraço e sinto a textura da sua pele, eu o abraço e choro porque dentro de mim (mesmo sonhando) eu sei que não é real.

Pensei em listar as coisas que foram tiradas de mim pela morte do meu pai, mas seria injusto porque eu teria que listar as coisas que foram tiradas do meus irmãos e principalmente da minha mãe, e mesmo que a lista coincidisse em algum ponto não estaria jamais completa.

Creio que nunca falei diretamente sobre isso aqui no blog. Sobre o que aconteceu com nossa família, sobre meu pai. Perdão por exorcizar meus fantasmas através das lágrimas e da escrita (e tenho que pedir perdão pra minha mãe por fazê-la chorar com essa leitura).

Duas coisas me fizeram criar esse post:
A primeira, um texto que a Cíntia do Free to be me postou há um tempo atrás:
"Mas a lição mais forte (e talvez mais dura) é a de que não podemos esperar que as coisas dêem certo pra sermos felizes, pra termos a paz. A paz que excede todo o entendimento é aquela paz que vivenciamos quando não temos motivos pra isso. Quando tudo parece dar errado, sabemos que há alguém maior olhando por nós, se preocupando conosco.
Nem sempre a justiça humana cumpre o seu papel da maneira que esperamos. O final de uma história não implica, necessariamente, em todos os bons vivendo felizes para sempre e todos os maus sendo condenados. Mas a justiça divina será feita no momento certo." (Clique aqui para ler o texto na íntegra).

A segunda razão foi a seguinte reportagem:
Réu é condenado a 74 anos de prisão em Viana.
Em julgamentos realizados nos dias 20, 21 e 22 de julho, o réu Adailton Freitas dos Santos foi condenado a 74 anos de prisão pela prática de dois homicídios e três tentativas de homicídio. Os júris foram presididos pelo titular da Vara, juiz Mário Márcio de Almeida Sousa.
No primeiro júri (dia 20), pesavam contra o réu as acusações de homicídio contra Magno Pereira dos Santos e tentativa de homicídio contra João Raimundo Ribeiro Serra e José Antonio Ferreira.
De acordo com o processo, os crimes teriam ocorrido em 17 de outubro de 2004, por volta das 18 horas, por ocasião de uma festa realizada no Bairro Piçarreira, quando o denunciado teria topado em uma garrafa de cachaça de Magno, iniciando-se aí uma discussão entre ambos e que culminaria com os tiros disparados por Adailton. Os disparos atingiram em cheio Magno, que veio a falecer, e acertaram ainda João Raimundo e José Antonio.
As penas pelos crimes imputadas a Adailton totalizaram 42 anos de reclusão, sendo 22 anos pelo homicídio e 20 anos pelas tentativas de homicídio (dez anos para cada uma).

Campana - No segundo júri, (21), Adailton respondeu pela tentativa de homicídio contra o agente de polícia Alípio Gomes. Segundo a denúncia, o crime teria ocorrido momentos depois dos crimes pelos quais o acusado respondeu no dia 20.De acordo com o processo, por volta das 18h30 do mesmo dia (17 de outubro de 2004), Alípio fazia campana próximo à casa do acusado, quando teria abordado uma pessoa que julgava ser Adailton, momento em que o mesmo apareceu e se aproximou do policial, que deu voz de prisão ao réu.
Ainda de acordo com a denúncia, na ocasião o policial derrubou o acusado no chão, virando-o de costas e tomando a arma que o mesmo portava. Ao algemar uma das mãos de Adailton, Alípio teria sido surpreendido pelo réu, que retomou a arma e atingiu o policial no peito, matando-o.
A pena atribuída ao acusado pelo crime foi de vinte e cinco anos.

Espingarda - No terceiro júri a que foi submetido, Adailton foi condenado a dezesseis anos de reclusão pelo crime de tentativa de homicídio contra Denivaldo Amorim Viegas. Segundo a denúncia, o crime teria ocorrido no dia 22 de outubro de 2003, por volta das 17:00 horas, quando a vítima-se na cozinha de sua residência (Viana), em companhia de três mulheres.
Ainda de acordo com a denúncia, na ocasião o acusado teria arrombado a porta com um chute, entrando na casa e, sem nenhum tipo de discussão, disparou um tiro de espingarda à queima roupa, atingindo o peito de vítima, matando-a.
(Assessoria de Comunicação da CGJ) Fonte: O Imparcial Online


Existem ainda muitos porquês, para quês e comos. Talvez teremos as respostas aqui na Terra. Talvez só quando chegarmos no Céu. Talvez nunca. Faço minhas as palavras da música do Catedral:

27 de agosto de 2010

Metamorfose

Depois de semi abandonar meu querido blog, voltei e já vou mudando um bocado de coisa.
-Quando criei o blog em 2007, meu objetivo era retratar minha experiência como au pair nos EUA. Hoje, 2010, muita coisa já mudou na minha vida, ainda continuo nas bandas daqui com saudade das bandas daí. Esse ano basicamente só postei até agora sobre os desafios de leitura que estou participando.

Decidi, portanto, ampliar o blog com dicas de livros, filmes, séries, textos, música, outros blogs, lições da vida, etc etc etc. Críticas, comentários e idéias são super hiper mega power bem vindos (com todo respeito, é claro).
Então vamu que vamu pra frente, meu povo!

25 de agosto de 2010

Careless in Red

Romance Policial - Desafio Literário 2010 (Agosto)

Título: Careless in red
Autor: Elizabeth George
Pág: 725
Editora: Harper


Primeiro, não encontrei a versão brasileira do livro, por isso traduzindo o título ao pé da letra fica Descuidado em vermelho (provavelmente vão dar algum título diferente, como quase sempre acontece). Ah, se alguém souber se tem ele em português me avisa, por favor.

Então vamos à história...
Não entendi a relação do título com o enredo, por isso vou ter que ler novamente pra tentar desvendar essa parte do mistério kkkk.
A história gira em torno da morte do jovem chamado Santo Kerne. O Superintendente Detetive Thomas Lynley da New Scotland Yard encontra o corpo no quadragésimo terceiro dia de sua caminhada pelas montanhas...
Ei, e por que ele está caminhando nas montanhas???
Bom, como eu achei o livro na reciclagem, achei interessante e peguei, eu nem sabia que a autora já tinha escrito dois livros anteriores com o mesmo personagem. Então... 
Lynley está devastado pela morte de sua esposa grávida e resolveu se afastar do trabalho e do mundo caminhando pelas montanhas, é assim que esse livro começa, mas aí ele se depara com o corpo do jovem que aparentemente sofreu um acidente ao escalar uma montanha. Mas as aparências enganam, e enganam muito nesse livro, logo de cara o nosso detetive percebe que não foi um acidente e sim assassinato, e apesar de não estar oficialmente trabalhando ele vai ajudar a Detetive Inspetora Bea Hannaford na investigação.
O suspense se estende por todo o livro. A autora faz questão que você conheça todos os personagens emocional e psicologicamente, o que torna mais interessante a busca pelo responsável pela morte de Santo (que de santo não tinha nada) já que com a descrição dada, o leitor se vê diante da possibilidade de dúvida o tempo inteiro.
Segredos são revelados e mentiras descobertas nessa trama onde ódio e amor caminham de mãos dadas e o passado está muito mais presente do que se imagina.
Confesso que dá vontade de falar mais, mas um spoiler seria inevitável.
O livro é super longo e meio chato no início, mas depois que o bonde começa a andar fica difícil desgrudar.
Portanto, nota  MUITO BOM!

21 de agosto de 2010

Trilha sonora.


Faz um tempão que salvei esse MEME nos meus rascunhos. Os créditos vão para Cintia, copiei do blog dela há um milhão de anos atrás. É bem engraçadinho, siga as regras e se divirta!


1. Abra sua lista de reprodução (iTunes, Winamp, etc)
2. Coloque em “Ordem Aleatória” (shuffle ou random)
3. Aperte “Play!”
4. Pra cada pergunta, coloque a música que estiver tocando.
5. Quando for pra outra pergunta, mude de música!
6. Não vale trapacear!

Só liguei o shuffle no meu media player e vamos ver no que vai dar. Os nomes de todas as músicas estão com links para a página do Letras.Terra, onde tem letra, tradução e vídeo.


01) Créditos de Abertura: I was hoping - Alanis Morissette (música meio deprimente essa kkkkkk)

02) Ao acordar: Easy to ignore - Sixpence None the Richer (ai ai ai tá tudo deprimente por aqui kkkk)

03) Primeiro dia de aula: Vamos fazer um filme - Legião Urbana (combina mais ou menos, eu acho kkk, mas fala de escola kkkk)

04) Infância: Silence - Jars of Clay (não acho que combine, talvez só porque eu era extremamente tímida)

05) Ao se apaixonar: Step by step/Forever we will sing - Michael W Smith (interessante!)

06) Colegial: Never think- Rob Pattinson (colegial e seus amores não correspondidos. Tá valendo então kkk)

07) Formatura: Breathing - Lifehouse (hummm, acho que combina porque foi muito doido até eu conseguir me formar e então finalmente o alívio kkk)

08) Fim de namoro: Signs of life- Lifehouse (UAU combina e muito!!!! Eu ouvi essa música no fim do meu namoro de verdade kkkkk)

09) Depressão: Sorria- Gabriel, O pensador & Os Detonautas (acho que serve pra eu rir, só pode kkk)

10) Faculdade: Heartless - The Fray (?????)

11) Vida: Flood - Jars of Clay (uhuuu muito bacana essa)

12) Música de Batalha: I'm not missing you- Stacie Orrico (tipo assim... humm acho que vai combinar no fim das contas kkk)

13) Na estrada: The heart of worship - Michael W Smith (Uau, interessante que além de amar essa, ela marcou a primeira viagem missionária que fiz em 2004. Nós ouvíamos direto. Trouxe boas lembranças agora)

15) Reatando namoro: Bent 4 U - Alanis Morissette (Talvez... Tem uma letra interessante)

16) Casamento: Vida Real - Engenheiros do Hawaii (kkkkkkkkk Tipo eu não quero essa no meu casamento não)

17) Nascimento do filho: What if I stumble - DC Talk (??????)

18) Batalha Final: Brasa - Lenine & Gabriel, O pensador (tem a ver kkkk e ainda fala de  imigrantes hehehehe)

19) Cena de morte: Love in the afternoon - Legião Urbana (Caraca!!! Fala de morte, uau! Doidiça)

20) Música do Funeral: I have been redeemed- Vineyard Music (Legal! Perfeita pra quem morre pronto pra se encontrar com o Senhor)

21) Créditos Finais: A fragrant offering - Rita Springer (Música para créditos mesmo. Fofa.)

Taí, gente! Espero que tenham gostado da brincadeira e podem copiar à vontade!!!

Um super beijo!

13 de agosto de 2010

O Caso das Rosas Fatais

Romance Policial - Desafio Literário 2010 (Agosto)



Título: O Caso das Rosas Fatais.
Autor: Mary Higgins Clark.
Editora: Publicações Europa-América
Páginas: 394


Quando iniciei a leitura e percebi algumas palavras que não entendia e aquelas colocações pronominais que soavam tão  estranhas (ah, português de Portugal), pensei em desistir, até porque era livro reserva e eu estava lendo antes da primeira opção. Mas, entretanto, sobretudo, todavia, isso é um desafio, né?  Comecei a ler no meu intervalo da manhã e literalmente foi um livro lido em uma sentada (andada também).  À noite só faltavam as últimas 5 páginas.
O que prendeu minha atenção???
As duas mulheres que a assistente da promotoria Kerry observa no consultório do Doutor Smith. 
Depois disso quero saber quem é Suzanne e qual o motivo para que o mesmo Dr. Smith mencionado acima fique reproduzindo o rosto da filha assassinada.
E o que o cliente do ex-marido de Kerry tem a ver com a história?
O ex-marido de Suzanne é realmente culpado pela sua morte como afirma o Dr. Smith?
Por que Jimmy não quer que Kerry reabra o caso do assassinato de Suzanne e ameaça sua filhinha?
E Kerry vai mesmo arriscar a possibilidade de ser nomeada à juíza e a vida da própria filha para investigar um caso encerrado há mais de 10 anos?
Foram todas essas perguntas e mais algumas que me fizeram mergulhar de cabeça na história. E como boa fanática por mistérios e romances policiais, a única coisa que eu sabia era que o verdadeiro assassino não era quem parecia ser, mas mesmo assim o fim foi uma grande surpresa.
Nota: Bom, quase muito bom.