29 de janeiro de 2011

Caos



Acho que existe uma organização mesmo em meio ao caos.

Meu quarto é um quase-caos, mas eu me encontro e encontro o que tô procurando (onde foi mesmo que botei aquele recibo, rapá???)

Não tenho a mínima idéia sobre o que estou escrevendo agora, o título me veio à mente enquanto eu banhava (maranhense não toma banho, portanto se acostumem), não sei se foi o cheiro de tangerina do meu sabonete, mas eu fiquei pensando na não-organização das coisas e como mesmo assim elas se organizam.

Provavelmente só tô viajando na maionese, porque também comecei a pensar em porque o pão (bolacha, biscoito, bagel, muffin, torrada, etc etc) sempre cai com a manteiga pra baixo.

Por que pensei na manteiga depois de pensar no caos? Por causa do gelo. O gelo que caiu na minha cabeça e fez um corte (minúsculo, eu confesso) na minha testa, mas mesmo assim ME CORTOU!!! Como assim???

Daí quando lembrei do gelo que caiu na minha cabeça, lembrei da senhora que caiu na rua perto de mim e quebrou o dedo mindinho. A ambulância teve que pegar ela e tudo porque ela bateu o rosto no chão e arranhou o rosto e quando eu vi o dedo dela torto, comecei a sentir a dor em mim.

Caos, queda da manteiga, queda do gelo, queda da senhora... Será que Murphy vai conseguir explicar essa???


  • Stumble This
  • Fav This With Technorati
  • Add To Del.icio.us
  • Digg This
  • Add To Facebook
  • Add To Yahoo