27 de fevereiro de 2011

Desafio Literário 2011 (Fevereiro): "Why I Stayed"

BIOGRAFIA / MEMÓRIAS






Título: Why I stayed - the choices I made in my darkest hour
Autora: Gayle Haggard w/ Angela Hunt
Editora: Tyndale
Ano: 2010
Páginas: 354









No dia 2 de novembro de 2006, a vida de Gayle Haggard mudou para sempre quando seu marido, Ted Haggard, fundador da New Life Church (14 mil membros) em Colorado Springs e presidente da National Association of Evangelicals, foi publicamente exposto em um escândalo. Nos dias e meses seguintes, tudo na vida de Gayle foi posto à prova - suas crenças, seu casamento e seu relacionamento com a comunidade da igreja que ela fez parte por mais de 20 anos. Em Why I Stayed (Porquê fiquei), Gayle nos encaminha através das escolhas que ela fez em sua hora mais escura e compartilha sua paixão renovada pela mensagem central da Bíblia - a mensagem libertadora de perdão e amor. Why I stayed nos lembra do que pessoas menos-que-perfeitas precisam desesperadamente - uma comunidade de família e fé que ofereça amor que cura e um caminho para restauração.
(tradução livre da sinopse disponível no site Goodreads)
 

1,2,3... 1,2,3... Testando...
Falar desse livro vai ser brabo (ou bravo, pra quem preferir). 
Tenho mania de ir à livraria e ficar lendo as contra-capas dos livros, com isso eu sempre fico com vontade de comprar/ler mais do que posso (tempo=$$$).
Este foi um desses livros. Acabei apelando para a boa e velha biblioteca.

Eu não "conhecia" Ted Haggard (apesar do sobrenome parecer familiar), mas quando li a sinopse a única coisa que eu queria saber, mais até do que o "porquê" ela ficou com o marido foi o "como" ela conseguiu fazer isso.
É possível encontrar a resposta no livro, mas como algumas pessoas ressaltaram nos sites de leitura por onde passei antes e comprovei lendo, o livro acaba enfatizando mais como a igreja falhou no processo de "reabilitação" de Ted.
Todos sabemos de pastores que caíram e a queda foi feia, mas não vejo nada diferente de nós não tão conhecidos/completamente desconhecidos cristãos que levamos quedões também. A diferença está na "publicidade", afinal "Pastor que traiu a mulher com outro homem" vende mais do que "Crentes fofoqueiros são disciplinados". Qual jornal/revista você compraria????
Nós adoramos um escândalo! E sem querer-querendo saímos por aí comentando:
"Viu? O Pr. Fulano traiu a mulher." "Eu sabia que isso ia acontecer, não te falei que os Beltranos roubaram o dinheiro da igreja?"
Enquanto reclamamos que os não-cristãos estão descendo o sarrafo dizendo que "crente é tudo a mesma coisa e blá blá blá". O que será mesmo que estamos fazendo???

Outro aspecto que esse livro me fez pensar foi nos 2 pesos e 2 medidas ainda existentes na comunidade cristã. Um exemplo é o rapazinho que fez o que não devia, foi pra disciplina, etc etc e acabou. Agora se é a irmãzinha, jovenzinha, meiguinha (sarcasmo ON), vai pra disciplina, etc etc e vai ser taxada de Jezabel (quer coisa pior que isso???) para sempre, além de carregar a letra escarlate estampada figuradamente falando.

Para concluir (hehe, sabe aquela pregação que o pastor já pregou por 1 hora quando ele diz essa frase você mantem os olhos bem abertos, mas leva mais 30 minutos para ele realmente concluir?) as principais lições que extraí desse livro foram:
*Perdão incondicional acompanhado do amor também incondicional (quer coisinhas mais difíceis??? Acho que não tem. Quem vem primeiro? Não sei, mas acho que a ordem dos tratores nesse caso não vai alterar o viaduto);
*Restauração dos laços matrimoniais destruídos pela infidelidade;
*Restauração de uma vida e reputação destruídas pelo pecado.

O único ponto negativo na minha opinião é que ela repete várias vezes que eles se doaram por 22 anos para a igreja e quando eles precisaram da mesma para se restaurar, as portas se fecharam. Eu até entendo que ela tenta desfazer boatos falsos que surgiram desde o escândalo (basta clicar na internet para vocês saberem do que estou falando), mas ao mesmo tempo em muitas partes no livro parece que ela está se defendendo e ao marido. De qualquer forma fica parecendo que ela ainda está magoada pela forma como a igreja os tratou. Por ela ter focalizado mais essa questão do que se prender ao que o título sugere, o livro vai levar nota 3,5.


Acho Gayle muito corajosa, para dizer o mínimo, afinal casamentos hoje em dia têm acabado por coisas muito menores e ínfimas (incompatibilidade de gênios??? Tu namorou pra quê então???).
Ela diz algo interessante (eu realmente vou concluir agora), a Bíblia permite o divórcio em caso de infidelidade. É permitido e não mandatório. Cada caso é um caso. Cada situação é diferente. (não é uma citação direta).

22 de fevereiro de 2011

Desafio Literário 2011 (Fevereiro): "Life, in Spite of Me"

BIOGRAFIA / MEMÓRIAS






Título: Life, in spite of me - Extraordinary hope after a fatal choice*
Autora: Kristen Jane Anderson w/ Tricia Goyer
Editora: WaterBrook Multnomah
Ano: 2010
Páginas: 210







Ela queria morrer. Deus tinha outros planos.

"Por que minha vida tem que ser tão dolorosa? O que há de errado comigo? Não vai melhorar. Tudo poderia ter um fim em breve e então eu não sofreria mais."

Kristen Anderson pensou que ela tinha a vida perfeita de uma pintura, até que pinceladas de cinza ofuscaram sua visão: três amigos e sua avó morreram num espaço de dois anos. Ainda sofrendo com essas perdas, ela foi violentada sexualmente por um colega ela achou que podia confiar. Ela logo afundou numa depressão profunda.
Numa noite de Janeiro, a garota de 17 anos decidiu que não queria mais lidar com a dor emocional que a sufocava. Ela se deitou nos trilhos frios da linha de trem e esperou pelo trem cargueiro que a levaria para o céu... e paz.
Milagrosamente, a história de Kristen não acaba aí.
Em Life, in spite of me, essa jovem alegre compartilha o milagre de sua sobrevivência, a agonizante consequência de sua tentativa frustrada de suicídio e a esperança que transformou sua vida completamente, dando a ela um poderoso propósito para viver.
Sua cativante história de encontrar alegria contra todas as probabilidades providencia um lembrete vívido e inesquecível de que a vida é um presente para ser estimado.


Vida, apesar de mim: esperança extraordinária após uma escolha fatal, é exatamente isso que diz (respirando fundo.UFA!).
Cheguei a esse livro através das sugestões do Amazon.com (esse site tem a intenção de me levar à falência, só pode!) quando eu estava pesquisando os preços e opiniões das biografias  que eu tinha na minha lista mental para o DL2011.
O que chamou minha atenção foi a frase "Tudo que ela queria era morrer", mas acabei não colocando na lista porque "money que é good nóis num have"...
Então... para minha supresa o BloggingForBooks tinha esse livro disponível para revisão, e como não sou boba nem nada, resolvi matar dois coelhos com uma resenha só, e no segundo tempo da prorrogação eu pude adicionar o livro à lista do DL... e não paguei nada por ele.

A história de Kristen poderia ser a de qualquer garota americana de classe média. Tudo parecia normal e perfeito até as coisas começarem a desmoronar e Kristen se vê enlaçada numa depressão que não é detectada pelos médicos ou pela família.
Bom, eu não sei diagnosticar depressão, e eu mesma já tive, mas graças a Deus não precisei de remédio (melancólicos levantem a mão), mas cada caso é um caso. O que parece é que a família e o psicólogo de Kristen achavam que ela estava apenas com birra de adolescente, o problema também é que ela não conversou sobre o impacto das mortes e muito menos sobre o que aconteceu quando ela foi estuprada. 
Vítimas sempre se culpam e se responsabilizam pelo que aconteceu, e é possível compreender isso no comportamento de Kristen. Aí quando ela se deita na frente do trem e sobrevive é que as coisas começam a fazer sentindo para quem não entendia o que estava acontecendo com ela. E apesar de sobreviver, Kristen perde as duas pernas, então imaginem todo o novo trauma emocional que ela tem que enfrentar.

A beleza da história de Kristen está na sinceridade com que ela descreve sua recuperação e adaptação à nova vida sem as pernas. Sua entrega a Deus que não  muda as coisas como num passe de mágica, mas que leva tempo e não é fácil.
A Kristen que inicia o livro é completamente diferente da que termina, e no meio do caminho você consegue acompanhar o processo de cura emocional e mudanças comportamentais que ela sofre. E com isso ela foi parar no programa da Oprah para testemunhar sobre a mudança que Deus operou em sua vida!!! O vídeo está em inglês:

Oprah Interviewing Kristen Jane Anderson

~ Kristen Jane Anderson ~ | Myspace Video

Kristen Anderson desenvolve um ministério chamado Reaching You (em inglês) que ajuda pessoas com depressão e/ou suicidas.
Nota para o livro: 4, muito bom!!!

Dê sua nota para essa resenha aqui:



*Recebi esse livro gratuitamente do WaterBrook Multnomah Publishing Group para essa resenha.




21 de fevereiro de 2011

Desafio Literário 2011 (Fevereiro): "Through Gates of Splendor"

BIOGRAFIA / MEMÓRIAS






Título: Through Gates of Splendor
Autora: Elisabeth Elliot
Editora: Tyndale
Ano: 2005 
Páginas: 268








Cinco homens entraram na selva à procura de uma tribo selvagem... e nunca retornaram.

Em Janeiro de 1956, uma história trágica inundou os noticiários ao redor do mundo. Cinco homens, movidos pela paixão de compartilhar as boas novas de Jesus Cristo, se aventuraram mais profundamente nas selvas do Equador. O objetivo deles:  fazer contato com uma tribo isolada cuja resposta prévia ao mundo exterior tinha sido atacar todos os estranhos.
No tempo determinado, suas respectivas jovens esposas sentaram-se próximas ao seus rádios, esperando por uma mensagem que nunca chegou...
Through Gates of Splendor, a história de Nate Saint, Roger Youderian, Ed McCully, Pete Fleming e Jim Elliot, foi escrito pela primeira vez em 1957 pela viúva de Jim Elliot, Elisabeth. Décadas mais tarde, essa história de amor incondicional e obediência completa a Deus ainda inspira novos leitores. Essa edição contem desenvolvimentos subsequentes nas vidas das famílias e da Tribo Waodani.


Esse livro foi uma das sugestões que o Amazon.com me deu, eu li a sinopse, gostei e comprei. Isso em 2009, comecei a ler, parei e o livro ficou aqui na estante me olhando todo esse tempo...
O livro não foi editado subsequentemente à sua primeira edição da década de 50 (apesar do acréscimo de informações sobre a vida das famílias e da tribo), por isso a leitura é díficil, além disso a forma como a autora escreve parece que estamos lendo aqueles textos científicos da faculdade... Mas chegando no meio do livro, quando os missionários se preparam e partem para a "Operação Auca", tudo flui mais rápido e você só consegue parar depois de ler até o fim, pelo menos foi assim comigo.

Elisabeth Elliot (mais conhecida pelo seu livro Paixão e Pureza), narra a história apresentando trechos de cartas, diários e gravações feitas pelos cinco missionários. Você consegue ter uma noção de quem eram os homens antes e depois de se tornarem missionários. Essa edição contém dois epílogos, um de 1958 e outro de 1996.
1958: Quase 3 anos após a tragédia, Elisabeth escreve esse epílogo quando vivia com a tribo Waodani. Através do perdão que as viúvas e suas famílias ofereceram aos índios, as portas se abriram e parte da tribo foi alcançada.

1996: Dessa vez, Elisabeth está morando nos EUA novamente, mas retorna ao Equador às vezes. Nesse epílogo ela faz uma analogia das vidas e questionamentos das viúvas com a história de Jó. E explica as diferentes formas como o massacre foi interpretado por diferentes pessoas. Uma coisa que me chamou atenção é quando ela reconhece a mutação causada pelo "homem branco", ela diz pensar na inconveniência, desorientação, confusão, exterminação e doenças que os índios sofrem porque missionários chegaram a eles finalmente.

O livro vai receber nota 4 por causa da história inspirativa de amor, obediência, entrega e principalmente perdão, mas perde pontos por causa da forma cansativa como foi escrito. De qualquer maneira eu recomendo o livro. Só não consegui achar qual o título em português (Através dos Portões de Esplendor?????, E se foi mudado na versão brasileira???)

O livro tem uma "continuação" escrita por Steve Saint (filho de Nate, piloto do grupo). O livro entitulado End of the Spear (Terra Selvagem em português / tá vendo como muda?) tem uma versão cinematográfica, o único trailer que achei foi este:

Há um documentário baseado no livro que li feito pela HBO, com o título Beyond Gates of Splendor, não achei nada no youtube legendado para postar, mas encontrei dois vídeos relacionados com a história chamados de Piloto das Selvas:


PARTE II

 Nossa! Essa resenha até que ficou grande, hein? Vou encerrar com uma citação do final do livro que falou muito ao meu coração. Deus abençoe vocês!!!

"Não podemos depender no nível de nossa espiritualidade. É em Deus e nada menos que em Deus, porque o trabalho é de Deus e o chamado é de Deus e todas as coisas são convocadas por Ele e para Seus propósitos, a cena inteira, toda a bagunça, o pacote completo - nossa coragem e covardice, nosso amor e egoísmo, nossas forças e fraquezas. (p.267)"

19 de fevereiro de 2011

Desafio Literário 2011 (Fevereiro): "Choosing to SEE"

BIOGRAFIA / MEMÓRIAS





Título: Choosing to SEE - A journey of struggle and hope
Autora: Mary Beth Chapman w/ Ellen Vaughn
Editora: Revell
Ano: 2010
Páginas: 279








SINOPSE
Desde o início,  a vida de Mary Beth Chapman não foi como ela planejava. Tudo que ela queria era uma vida calma e serena de estabilidade e controle. Em vez disso, Deus deu a ela um marido, cantor/compositor ganhador de prêmios, agendas malucas e uma casa cheia de filhos incontrolavelmente exuberantes. E então, ela experienciou a tragédia que ela nunca poderia ter imaginado.
Em Choosing to SEE, Mary Beth revela sua luta em permitir que Deus escreva a história de sua vida, tanto os capítulos felizes quanto os trágicos. E à medida que a história se desenrola. ela tem sido forçada a encarar algumas das maiores perguntas da vida: Onde Deus está quando as coisas ficam aos pedaços? Por que Deus permite que coisas terríveis aconteçam? Como posso sobreviver os tempos difíceis?
Não importa onde você se encontra em sua própria história de vida, você vai estimar a forma como Mary Beth mostra que mesmo nos tempos difíceis, existe esperança se você escolhe VER.



Antes de mais nada, a tradução do título é Escolhendo VER: uma jornada de luta e esperança. Não acredito que já tenha em português, mas espero que saia em breve porque é um livro que traz uma mensagem muito forte e impactante.

Sabe quando um livro atinge o âmago do teu ser? Você fica sentindo aquela dor no estômago que só passa depois que você chora (ou às vezes nem chorar resolve). Pois é, esse livro me atingiu dessa forma, eu sabia o que viria, mas mesmo assim fui pega de surpresa... Mas antes quero contar como cheguei a ler esse livro...

Em 2008 quando eu morava em New Jersey, eu sempre ligava o rádio no carro e todos os dias tocava uma música que eu entendia algumas palavras: Daddy, Cinderella, etc. Dava pra entender que era um pai cantando para sua filha, eu gostava de ouvir porque me lembrava meu pai (Canção: Cinderella). Um dia os locutores pediram oração pela família desse cantor...

No dia 21 de Maio de 2008, um trágico acidente atingiu a família de Steven Curtis Chapman, um dos ícones da música cristã americana, sua filha Maria de 5 anos morreu ao ser atingida pelo carro que seu filho Will (17) dirigia. Mas esse livro escrito por sua esposa Mary Beth não é apenas sobre o acidente, vai muito além...
Mary Beth é prova viva de que ser casada com um cantor cristão famoso não significa ter uma vida perfeita e sem problemas, muito pelo contrário. Ela desvenda sua alma e coração de maneira franca, honesta e direta (não sei se jamais teria essa coragem) e fala sobre seus problemas de baixa auto-estima na adolescência e depressão clínica na idade adulta. E quando a tragédia a atinge em cheio, ela não esconde seus medos, anseios, dúvidas e questionamentos.

Confesso que comecei a chorar desde a Dedicatória quando ela diz: Deus é bom mesmo quando as coisas estão ruins. O processo de cura é longo, doloroso e infinito para quem como eu, Mary Beth e tantas outras pessoas espalhadas pelo mundo, sofrem tragédias inexplicáveis e perdas impossíveis de entender. E nos questionamos e questionamos a Deus: "Onde Tu estavas? Por que Deus permitiu isso?"
Mas assim como Mary Beth Chapman, eu decido todos os dias seguir em frente determinada e Escolhendo VER. Faça o mesmo! A jornada é cheia de lutas eu sei disso, mas há esperança ainda que andemos pelo vale da sombra da morte.

O livro é o primeiro a receber nota máxima no meu DL 2011!!!


Os Chapmans desenvolvem um trabalho muito importante na área social junto a órfãos do mundo inteiro, especialmente na China, afinal as três filhas mais novas do casal são chinesas. Se quiser conhecer mais é só checar o site SHOW HOPE.


Vou encerrar esse post com uma música do CD de Steven Chapman feito depois da morte de Maria (e claro que em breve vou fazer um post apenas sobre o CD).
Deus abençoe cada um de vocês!!!

HEAVEN IS THE FACE

18 de fevereiro de 2011

Para família Mendes*



Quando você atinge o fundo do poço
E afunda ainda mais
E você cai em uma escuridão
Que palavras não podem explicar
Você não sabe como vai sobreviver
Jesus vai te encontrar lá

E quando o médico diz: Sinto muito
Não sabemos mais o que fazer
E você está olhando para sua família
Se perguntando como eles vão aguentar
Qualquer que seja a estrada que a vida te levar
Jesus vai te encontrar lá
 
Ele sabe o caminho para onde quer que você esteja
Ele sabe o caminho para as profundezas do seu coração
Ele sabe o caminho porque Ele já esteve onde você está indo
Jesus vai te encontrar lá
 
Quando o júri diz: Culpado
E as portas da prisão se fecham
Aquele que você ama não diz nada
Mas apenas arruma as malas e vai embora
A luz do sol vem e seu mundo continua escuro
Jesus vai te encontrar lá
 
Quando você falha novamente
E todas as suas segundas chances foram usadas
E o peso da culpa e vergonha
Estão te esmagando
E tudo que você tem é um último choro por ajuda
Jesus vai te encontrar lá

Ele sabe o caminho para onde quer que você esteja
Ele sabe o caminho para as profundezas do seu coração
Ele sabe o caminho porque Ele já esteve onde você está indo
 
Quando você percebe que os sonhos que você tinha
Para seu filho não vão se realizar
E o telefone toca 
No meio da noite com notícias trágicas
Qualquer que seja o vale que você tenha que atravessar
Jesus vai te encontrar lá
Ele vai te encontrar lá
Jesus vai te encontrar lá.


*Em memória de Ivete Mendes (*14/11/1980  +17/02/2011).

15 de fevereiro de 2011

Someone's Son, de Brenda Rhodes




Título: Someone's son* (O filho de alguém)
Autor: Brenda Rhodes
Editora: WinePress Publishing
Ano: 2010
Páginas: 208 










 SINOPSE: 
Molestação sexual... vício... homossexualismo... HIV/AIDS... doença e hospitalização... morte.

Tristemente essas marcas na estrada da vida são familiares. Brenda Rhodes sabe disso muito bem. Em Someone's son, Brenda descreve como ela assistiu seu sensível e criativo filho, Ronal Paul, se auto-destruir enquanto trilhava esse caminho. Ela se sentiu sem poder para trazê-lo de volta para segurança.
Someone's son é uma biografia de tragédia pessoal, mas é mais que isso. É um relato do amor fiel de Deus por um filho pródigo. Começando com sua própria história, Rhodes escreve sem hesitação sobre os anos em que ela se afastou de Deus. Ao fim de seus recursos, ela O ouviu insistindo para que ela permitisse Ele ser Deus na sua vida e de seu filho. Ela o fez e encontrou esperança no fim da estrada.
Someone's son vai tocar seu coração, mexer com sua fé e acordar sua preocupação por aqueles que lutam com vícios e outros problemas sérios. Vai te deixar com a confidência que quando você encontrar alguém como Ronal Paul, você vai perceber que ele ou ela não é apenas mais um viciado em drogas ou portador da AIDS.
Ela é a filha de alguém - e ele é o filho de alguém.



Hummm... Fevereiro tem sido o mês das biografias... Interessante...
Bom, só pela sinopse dá pra perceber que esse livro é triste, sobre vidas e sonhos destruídos e uma mãe lutando pela recuperação de seu filho. Traz uma mensagem de amor e esperança para famílias que sofrem com alguém envolvido com drogas e portador da AIDS, além de tratar sobre homossexualismo e abuso sexual.

Recomendo o livro, primeiro para quem gosta de biografias e não fica horrorizado com algumas coisas a ponto de ficar: "Mas isso é uma história real???". Sim, meu filho, é uma história real.
Depois, para pessoas que se interessam por temas como estes e/ou que desenvolvem trabalhos/ministérios com pessoas nas situações citadas. Lembrando que esse livro é um relato pessoal/particular de uma mãe específica. As situações podem variar de família para família e pessoa para pessoa.


Uma coisa que me chamou atenção foi o fato de muitas vezes encararmos viciados como pessoas que não mudam porque não querem (alguns casos sim eu sei, é isso mesmo), mas eu não faço a mínima idéia do que é ser completamente dependente de uma substância ou coisa ou sei lá o quê, que te faça perder completamente a razão a ponto de fazer o que testemunhamos todos os dias na TV, noticiários, etc. O livro me ajudou a ter uma visão menos preconceituosa em relação a esses casos (não vou mentir, mas ainda não é 100%)

Há algumas "coisinhas" de cunho teológico no livro que soam estranhas para mim, mas cada um tem que ler e tirar sua próprias conclusões. 


Mais informações sobre o livro e a autora, visite o site (em inglês) aqui.






*O livro foi disponibilizado gratuitamente para a participação no BlogTour.
 

7 de fevereiro de 2011

Blogging for Books Program


Como vocês perceberam no post anterior eu citei algo sobre esse BloggingForBooks, lembram?
E tem esse button aqui do lado no blog, já viu?

Quem conhece o BlogTour (que infelizmente está acabando), já tem uma idéia do que se trata.
Você recebe um livro grátis da editora e então tem que postar uma resenha em seu blog (e outros locais que sejam exigidos).

No BloggingForBooks, além de postar sua resenha em seu blog, você tem que postar no site do programa e em um site de vendas (sua escolha). Além disso, você tem a chance de ganhar brindes (resenhas mais comentadas). Legal, né?

Porém tenho uma notícia boa e outra ruim para vocês blogueiros leitores viciados (como eu!).
Ok, vou começar pela ruim (eu sempre prefiro a ruim primeiro): 
O BloggingForBooks AINDA não está trabalhando com blogueiros "internacionais", ou seja, quem mora fora dos EUA não pode participar.
MAS, de acordo com os organizadores (e essa é a notícia boa) eles já estão trabalhando para se tornarem abrangentes mundialmente. Então, vocês podem clicar AQUI preencher o formulário e aguardar as boas-novas!!!

Querem conhecer o site? BloggingForBooks
Eles também estão no TwitterFacebook.

5 de fevereiro de 2011

Tandem, de Tracey Bateman



Título: Tandem* ("Conectado/Ligado")
Não publicado no Brasil
Autora: Tracey Bateman
Editora: WaterBrook Press
Páginas: 312
Ano: 2010









SINOPSE
 Quando obsessão e perda se tornam parceiros das trevas, quão longe as pessoas de Abbey Hills irão para sobreviver?
Seis meses atrás, assassinatos brutais abalaram a pequena cidade de Ozark - assassinatos que pararam após um incêndio em uma casa ter supostamente tirado a vida do assassino. A casa de leilões da família de Lauryn McBride tomou a responsabilidade pela venda da propriedade de uma das vítimas - o enigmático Markus Chisom. Mergulhando a si mesma no belo, mas estranho mundo de Chisom, Lauryn acolhe o adiamento de ver seu pai sendo roubado por Alzheimer, pouco a pouco. Ela percebe sem demora que segredos de muitos séculos ligam Abbey Hills à propriedade de Chisom e um misterioso Mal fará qualquer coisa para ter a certeza de que esses segredos permaneçam escondidos. Até mesmo o homem que cresceu amando Lauryn não seja capaz de protegê-la do perigo.
Quando Amede Dastillon recebe um pacote inesperado de Abbey Hills, ela tem esperança que possa ser a chave em rastrear sua amada irmã distante. Visitar Abbey Hills parece o próximo passo lógico em sua busca, mas Amede é inusitadamente afetada pela cidade.
Duas mulheres unidas por perguntas que parecem não ter respostas. Elas podem derrotar a perda e escuridão que ameaçam devorá-las - ou seus próprios demônios as condenarão a um deserto emocional? 

ATENÇÃO: Essa resenha pode conter SPOILERS!!!

ANTES:
Primeira impressão que tive quando vi a capa foi: "Mais um livro de vampiro?" A capa pareceu com Crepúsculo e Diário do Vampiro, só para citar alguns que já vi nas livrarias. Opa, mas a classificação desse é ficção evangélica ("zóios esbugaiando").

Depois fui ler a opinião geral sobre o livro no Goodreads  e tcham tcham tcham... é um livro sobre vampiros, ou pelo que entendi contem  vampiros. A essa altura a minha curiosidade já estava na capacidade máxima, como a autora conseguiu fazer isso???
Comecei a ler beeeeem lentamente para não perder nenhum detalhe, entender tudo e fazer uma boa resenha.

DEPOIS:
Vou confessar que levei mais tempo para fazer a resenha do que propriamente para ler o livro. Toda vez que me sentava para escrever simplesmente não sabia por onde começar ou o que dizer.
Antes de mais nada, preciso deixar claro que não tenho nada contra livros de vampiros (deixe os bichinhos serem felizes na literatura), mas também não são meus livros favoritos. Acho que desde Drácula  quase todo mundo fica curioso por esses personagens misteriosos e malignos (?), mas querem saber o que eu acho que mais atrai a humanidade para os vampiros? A possibilidade de viver eternamente. A parte de se alimentar de sangue é muito nojento, mas a vida eterna é atraente. Abre parênteses (Existe uma única possibilidade de vida eterna e é através de Jesus Cristo) fecha parênteses.

O livro não é tão ruim quanto pensei, na verdade não é ruim, a autora conseguiu reunir quase todos os elementos que gosto em um livro: suspense, mistério, um pouco de romance e drama pra completar. 
Os primeiros capítulos são confusos porque fica difícil identificar sobre quem ou quem está falando. Lauryn narra a história em primeira pessoa. Os outros personagens aparecem em terceira. Além disso, é possível acompanhar trechos do passado de Lauryn.

O ponto forte do drama é o relacionamento de dependência mútua entre Lauryn e seu pai doente (ele tem Alzheimer). Lauryn basicamente vive em função do pai ao ponto de ocorrer uma inversão de papéis, onde Lauryn se torna "mãe" e se culpa por não ter o poder de proteger seu pai de acidentes que acontecem no decorrer da história, sejam eles emocionais ou físicos. 
Outro ponto que vale a pena salientar é o fato de Lauryn ver seu pai como sua rocha e alicerce, um lugar seguro para onde ela poderia correr "quando a vida fica perigosa, ela se sente sozinha, com medo, rejeitada e feia". O problema é que com a doença, Lauryn vê sua "fortaleza" desmoronar lentamente diante de seus olhos.
Tudo isso faz com que Lauryn questione Deus por acreditar que Ele seja responsável em ter levado sua mãe (ela morreu em um acidente quando Lauryn era criança - o que realmente aconteceu fica vago e levanta dúvidas no leitor) e outras pessoas boas.

Os vampiros aparecem como "pessoas normais" que se misturam na multidão de humanos sem jamais serem descobertos. Eles preferem cidades grandes onde podem se alimentar já que existem vários crimes sem solução nesses lugares.
Os vampiros podem se alimentar de sangue humano ou de animais, sendo que o sangue humano faz com que eles tenham mais força e energia.
Interessante quando menciona o pai de Amede e Eden como um vampiro que desistiu de qualquer tipo de sangue por acreditar que dessa forma ele se aproximaria de Deus e acabou morrendo de forma trágica e lenta por causa de sua decisão.

Perguntas que surgem no decorrer da leitura: 
  • Quem é o homem que mantem Eden em cativeiro?
  • Quem é o assassino à solta em Abbey Hills?
Este livro é sequência de Thirsty, que eu não li, mas fiquei curiosa. Mesmo sem ter lido o primeiro livro é fácil acompanhar e entender Tandem.
Vocês podem ler os dois primeiros capítulos aqui. Lembrem-se que o livro não foi lançado no Brasil, portanto os capítulos estão em inglês.
ENJOY!!!

Vocês também podem checar o resumo da síntese do substrato que fiz para o site BloggingForBooks. E se vocês quiserem comentar lá... (cof cof) não gosto de ficar pedindo essas coisas, mas seria muito legal. Fiquem à vontade!!!

*Recebi esse livro gratuitamente do WaterBrook Multnomah Publishing Group para esta resenha.


PS: Não esqueça de dar sua nota para a resenha abaixo. Não se preocupe, seja sincero (a)!!!


1 de fevereiro de 2011

Minha vida segundo... Sixpence None The Richer



Eu estava visando esse MEME desde que vi no blog da #bandida Cíntia, depois no da #pirralha/bandida Annie e por fim no da Ju.
Decidi escolher uma das minhas bandas favoritas, mas que poucas pessoas conhecem a não ser a música KISS ME. Comecei utilizando links para o letras.terra, mas começaram a aparecer letras com vídeos trocados (além de algumas traduções toscas que resolvi ignorar), por isso alguns links vão levar para o youtube e quando eu não achar nem no youtube vou postar para o site MP3 Gospel. Sorry!!! Não foi minha culpa!

Não sei ainda o que vai rolar por aqui, mas vamos ver como me descrevo usando as músicas do Sixpence???
E se você quiser pode copiar a brincadeira, levar pro seu blog, escolher uma banda/cantor(a) e me avisa para eu checar suas respostas também.

Você é homem ou mulher: Sister, Mother (apesar de não ser mãe ainda, essa música prova que sou  do gênero feminino kkk)

Descreva-se: Dizzy (se eu ficar sem comer...)

Como se sente: I can't explain (por isso não pergunte)

Descreva o lugar onde você mora: Too Far Gone (far, far, far away em um reino distante e gelado)

Se você pudesse ir pra qualquer lugar, pra onde iria?  Within a room somewhere (hehehe essa foi legal!)

Seu meio predileto de transporte: My dear machine (sendo que me transporte, né?)

Seu melhor amigo: The fatherless and the widow (eles me entendem e eu os entendo...)

Você e seu melhor amigo são: Us (Elementar, meu caro Watson! Quando vcs abrirem o link, cliquem na segunda música da lista)

Como está o tempo? Anything (vai depender... hehehe)

Sua hora do dia preferida: Tonight (essa tb foi legal!!!)

Se sua vida fosse um seriado, como ele se chamaria?  Field of Flowers (bem romântico. Hummm)

O que é a vida pra você?  Circle of error (vamos quebrar isso, né?)

Seu relacionamento: Love (óbvio)

Um medo: Easy to ignore (não gosto de ser ignorada. Entendeu? Alô?? Fala comigo!!! Não me ignore!! - chega de drama! hahaha)

Que conselho daria? Don't dream it's over (calma, é só a música, continue sonhando...)

Pensamento do dia: Trust (perfeita!)

Uma motivação: I need love (todo mundo precisa.)