12 de julho de 2011

Desafio Literário 2011 (Julho): "Encontrando Perdão"

NOVOS AUTORES


Tïtulo: Encontrando Perdão
Autora: Priscila Reis Andrade
Edição digital
Páginas: 144



Carolina é uma jovem que se vê obrigada a ir embora para o Sul com os pais que, desde pequena, não convive bem, e deixar para trás amigos e amores. Seu ser está em constante guerra, mas este mal pode ser dissipado se ela escolher realizar uma difícil tarefa... perdoar. Nesta emocionante história de amor, a autora Priscila Reis Andrade reuniu graciosamente todas as virtudes que uma pessoa pode ter, mostrando como doar-se a alguém e guiá-la por um caminho diferente que pode trazer luz para sua própria vida. Problemas familiares? Ah... não são tão grandes quando existem verdadeiros amigos para nos motivar a ser feliz. Descobrir o amor? Para uns isso significa estar a dois passos da felicidade. E quando as circunstâncias o levam a recuar e a pensar na cruel hipótese de estar longe do verdadeiro amor? De pinturas em quadros até encontros que poderiam mudar toda sua vida, esta história irá emocioná-lo mais do que finais felizes de contos de fadas, e levá-lo a compreender o que um sentimento verdadeiro pode alcançar. (Fonte: Skoob)

Encontrando Perdão é um livro de fácil leitura se isso é sua preocupação em relação a livros ou se você gosta de romances românticos. Ou as duas coisas. 
Nada contra o romance de olhinhos brilhantes e coraçõezinhos flutuando ao redor da cabeça, mas eu meio que "vibrei" quando o casal principal finalmente brigou, isso trouxe mais realidade à história. Por favor não pensem que sou brigona (ou é briguenta?), é só me olhar que vocês vão ver os coraçõezinhos flutuando ao redor... peraí que tem um engatado no cabelo (#piadafail).
Como eu estava dizendo, a história é linda, fofinha, guti-guti romanticamente falando e Douglas definitivamente é uma espécie rara e em extinção. Olha só alguns trechos do meu histórico de leitura:
"Ha! Amigos como Douglas pedem pra ser agarrados porque se eu tivesse um amigo como ele já tinha tentado agarrar. Humm... na verdade... [CENSURADO]  
Nos primeiros capítulos achei que a Carolina sofria de transtorno bipolar. Sério! 
Que Douglas & Carol que nada, Pepino é que é o cara!!! (Por que será que toda vez que ele aparece eu lembro da bandida Cíntia?) Morri de rir com os bonecos do Batman & Aquaman."

Por falar em Douglas, eu apresento-vos a minha mais nova teoria baseada nesse personagem (e alguns indivíduos da vida real): SÍNDROME DOS AMIGOS AGARRÁVEIS.
Apesar do nome gigante não é nada complicado de entender. Todas as mulheres que já se apaixonaram pelo [melhor] amigo juntem-se a mim nesse momento e façamos uma corrente de... libertação? (#outrapiadatosca). Sério! Amigos que dizem coisas lindas de morrer (e matar), são hiper-mega-ultra FOFOS (sorry, Felipe, mas eu não resisti), quase-perfeitos... Eles realmente estão pedindo para serem agarrados (principalmente com essa crise mundial de falta de homens decentes).
Você que COF COF tem aquela lista de qualidades que procura em um homem, o que acontece quando você checa sua listinha super básica e percebe que existe um elemento agarrável que combina com sua lista? 
1- Ele é seu [melhor] amigo;
2- Ele não sente o mesmo por você.
Muita calma nessa hora! Não é culpa do coitado, certo? Afinal o oposto também acontece quando é você sofrendo da tal síndrome e seu amigo te acha agarrável. Tá vendo como as duas situações são malzonas?
Vocês já passaram por isso? Gostariam de compartilhar rapidamente sua experiência?

Deixando a viagem na maionese de lado e voltando ao livro: Carol não sofre desse problema. Ambos se amam, se querem, [SPOILER] se casam e vivem felizes para sempre (até pelo menos onde o livro termina).[/SPOILER]
O que eu gostaria de destacar é como a autora abordou a transformação da Carol, não foi algo mágico e instantâneo, mas gradativo. Apesar disso, algumas vezes eu tive a impressão de que algumas partes tentavam "pregar" uma vida perfeita pós conversão (posso estar errada, mas foi a sensação que tive).
 O texto em si precisa de uma revisão mais apurada, principalmente em relação aos tempos verbais que me deixaram um pouco confusa, mas nada que impediu a leitura.
Agradecimentos:
* A Priscila por disponibilizar seus ebooks. Tem sido leituras muito proveitosas. Muito obrigada!!!
* A bandidona porque eu conheci os ebooks da Priscila através de ti.

Interessados contactem a autora pelo twitter: Priscila Andrade.
  • Stumble This
  • Fav This With Technorati
  • Add To Del.icio.us
  • Digg This
  • Add To Facebook
  • Add To Yahoo