25 de fevereiro de 2012

Alguém como você???

Quem nunca ouviu falar em Adele? Hoje em dia, ela é a bam-bam do mercado sonográfico.
Não tenho nada contra a moça, muito pelo contrário. Na verdade, acho aquela voz dela o máximo. Imagina se eu conseguisse cantar pelo menos 50% como ela?
Enfim... De vez em quando tem uma música da Adele no meu playlist diário. Elas me lembram a adolescência aqueles amores "impossíveis", tristes e não correspondidos.

"Ouvi dizer que você se comprometeu
Que você encontrou uma garota
E agora está casado"

Rapá, Adele, eu te entendo! Infelizmente é literalmente mesmo. Sei bem como é amar aquele certo alguém, acreditar nas palavras do fulano, sonhar com o casamento, planejar uma vida ao lado do mesmo e... o SSS (Safado, Sacana, Sem-vergonha) dá o maior piti, termina e poucos meses depois casa com outra O.o (de boa, acho que alguém foi traído nessa história).

"Ouvi dizer que seus sonhos se realizaram
Acho que ela te deu coisas
Que eu não te dei"

Como disse antes, te entendo perfeitamente! Concordo e coisa e tal, MAS daí, Adele vem com um papo muito estranho:

"Não importa
Vou encontrar alguém como você
Não desejo nada além do melhor pra você também
Não me esqueça, eu imploro"

Pirou, né colega? O homem SSS me trocou por outra e eu vou encontrar outro igual a ele??? E ainda vou ficar implorando pra ele não me esquecer???
De jeito nenhum! Sai fora! Talvez alguma garotinha bobinha não concorde comigo, mas fala sério! Não tem como, nem cabimento eu ficar cantando um negócio desse. Geralmente quando essa música toca, e ela tem tocado praticamente em todo lugar, eu mudo a letra na minha cabeça.
Minha versão dessa música ficaria beeem mais legal:

Não importa, seu bestão
Vou encontrar alguém melhor que você
Desejo tudo de bom pra vocês e blá blá blá
Me esqueça, por favor, Zé Ruela

Claro que eu deveria ter feito a minha versão em inglês primeiro, mas tá valendo.
Alguém discorda ou concorda? Seus pensamentos e comentários são sempre bem-vindos!


14 de fevereiro de 2012

Os quase-casais da ficção

Quase não é uma palavra legal, assim como se (conjunção condicional). E antes que você continue lendo, saiba que esse post não é sobre gramática normativa (nem qualquer outra) e o mais importante, contém spoilers.
ATENÇÃO! SPOILERS A SEGUIR!!!

Depois não diga que não avisei!
A ideia para esse post surgiu por acaso. A TV (que não era na minha casa) estava ligada numa série do canal Syfy, Being Human. Personagens fantasmas conversando e de repente a música de fundo prendeu minha atenção porque eu conheço essa música! EU CONHEÇO ESSA MÚSICA!!!


Claro que a música ficou grudada  na minha cabeça por mais de 24 horas, até que lembrei que era o tema da Katie e do Rick (Débinha que sugeriu, não foi?). E hoje é Valentine's Day (versão gringa do Dia dos Namorados)... O certo é que uma coisa levou à outra e decidi escrever sobre aqueles casais que quase deram certo. Quase (olha a palavrinha aí de novo).
Provavelmente você já conheceu pelo menos um casal que namorou por 10 anos e quando você pensou que o casório ia sair, eles terminaram e todo mundo ficou sem entender já que eles pareciam "perfeitos" um para o outro.
Acontece com nossos amigos fictícios também. Não que eles tenham namorado por dez anos, mas... vocês entenderam, né?

Selena & Paul: tá bom que eles não eram Cris & Ted, mas eu achei que eles dariam certo. Até porque Selena orava pelo cara quando ele estava na fase pseudo-doidão dele. Dizem as más línguas que o Paul era (é!) um insosso, sem graça, etc. Como só li a série uma vez, não lembro tantos detalhes assim, mas eu gostava dele, e o mais importante era que Selena gostava dele.
De qualquer forma, Selena parece ter achado seu "valentine". Vide: Love Finds You in Sunset Beach, Hawaii.

Katie & Rick: ambos nunca foram santinhos. Ela sempre teve essa paixão ressentida por ele. Ele redimiu seu passado. Eles eram a tradução literal de que "opostos se atraem" e quando os leitores estavam praticamente para ouvir o tão esperado pedido de casamento, ela terminou, assim do nada (nem tanto), de madrugada, de uma forma totalmente Katie de ser.
Se você acha que o povo ficou triste com a separação de Jennifer Lopez & Marc Anthony ou Claúdia Raia & Edison Celulari; a separação de Katie & Rick foi muito mais devastadora. Provavelmente Robin perdeu alguns leitores por causa disso. A galera decretou luto oficial e tudo mais. Alguns fãs xiitas fizeram greve de fome e a Nicole precisou de guarda-costas já que ela estava sofrendo ameaças de linchamento.
Agora a doida da Katie está na África e só vamos saber dos babados a partir de Abril quando Finalmente & Para Sempre chegar às livrarias.



PS: Como a ideia surgiu ontem à noite, não tive tempo de lembrar de mais casais que se enquadram nessa categoria. Vocês podem citar os que vocês conhecem também. Em junho reescrevo esse post para celebrar o nosso Dia dos Namorados. Que tal?

PS do PS: Por que escrever sobre casais que não deram certo??? Por que não escrever algo normal para a data tipo sobre casais que deram certo?
Quem disse que sou normal?

PS do PS do PS: As conexões que fiz entre o seriado, música e quase-casais fizeram sentido, não fizeram?

11 de fevereiro de 2012

Desafio Literário 2012 - lista



Não me inscrevi no Desafio Literário 2012 desde o início porque achei que não fosse conseguir dar conta do recado. Mas como tenho alguns livros na fila que se enquadram... 
Ah, fala sério! Gosto muito do DL, então antes tarde do que mais tarde ainda :p
Pronto! Decisão tomada, vamos à lista de leituras.
Oh, os links são para os livros no SKOOB, caso o livro não esteja registrado lá, o link vai para o GOODREADS porque não tenho tempo para registrar agora, ok?

MARÇO: Serial Killer - Romance policial é meu queridinho, principalmente quando é bem escrito (apesar de que a Série Mortal está me cansando O.o).
Creation in Death - J. D. Robb

ABRIL: Escritor(a) oriental - Não li muitos, mas, tive uma indicação da Ju e um que já estava na estante esperando a vez.

MAIO: Fatos Históricos - Gosto da temática, mas acho um tanto cansativo, principalmente aqueles que retratam um passado mais distante com linguagem rebuscada.
One Tuesday Morning - Karen Kingsbury (11 de setembro)
The Traitor's Wife - Susan Higginbotham (Reinado de Eduardo II)

JUNHO: Viagem no Tempo – Minha chance de ler outro clássico e conhecer um novo autor (ou seria autora?).
The Mirror - Marlys Millhiser

JULHO: Prêmio Jabuti –  Por enquanto vai ficar em branco até eu conseguir alguém para "contrabandear" uns livros do Brasil pra mim hehehe.

AGOSTO: Terror - Faz um tempão que não leio nada desse tema. Tentei encontrar algo que fosse bem assustador sem ser "O Exorcista" (o único livro do gênero que me recuso a ler).
The Dead Zone (Zona Morta) - Stephen King (claro!)

SETEMBRO: Mitologia universal – Assim como romances históricos, romances mitológicos são bons, mas cansativos (vale ressaltar que essa é apenas minha opinião).
Avalon High - Meg Cabot

OUTUBRO: Graphic Novel – Nunca li antes! Então, sejam bem vindos.
Troublemaker (Livro 1)  - Janet Evanovich, Alex Evanovich & Joëlle Jones

NOVEMBRO: Escritor(a) africano - Amazon e a Biblioteca Pública são os responsáveis pelas escolhas desse mês.
Beyond the Horizon - Amma Darko

DEZEMBRO: Poesia - Gosto de ler poesia sem ter que ler o livro inteiro, mas não dá pra escapar dessa vez, né?
Selected Poems - Emily Dickinson
Goblin Markets & Other Poems - Christina Rossetti (quem sabe de onde escolhi?)

PS: A lista não é imutável. Pode ser que eu acrescente ou troque algo no decorrer do ano. Alguém já leu algum desses livros???

6 de fevereiro de 2012

Nearing Home, de Billy Graham [editado]

Meu pai costumava dizer que na vida nós só temos uma certeza: a morte.
Ah, não, Aline. Lá vem tu de novo com esses posts mórbidos.
Não! Peraí! Est non mea culpa.
Quando não morremos jovens, existe outra coisa que é certa: a velhice.

Para alguns, falar sobre isso é muito difícil, quer dizer, alguns nem querem que essa palavra seja mencionada em sua presença de jeito nenhum. VELHICE! VELHICE! VELHICE!
Isso me faz pensar na Gothel de Tangled (só porque acabei de ver, claro). Em toda sua ganância e obsessão para manter sua juventude ela...
Bom, vejam o filme. É bom!!!

 Vamos ao livro:


Título: Nearing Home
Autor: Billy Graham
Editora: Thomas Nelson
Ano: 2011
Páginas: 176



Billy Graham, agora com mais de 90 anos de idade, fala sobre a longa trajetória de sua vida, traçando um caminho de conselhos para aqueles que ainda não chegaram à velhi... melhor idade.
Não pense que ele fica o tempo todo comentando sobre quão maravilhoso é envelhecer ou que ele reclama o tempo inteiro. Gostei da sinceridade dele ao mostrar os dois lados da moeda. Envelhecer traz coisas boas, mas também traz coisas ruins. Além disso ele fornece dicas práticas de como podemos nos preparar da melhor forma possível para esse tempo.
O autor também cita a importância de organizarmos nossas coisas, por exemplo, fazer um testamento para evitar confusões entre familiares após sua morte ou caso você adoeça e não possa mais tomar suas próprias decisões.
O título é perfeito! Me faz lembrar que essa vida aqui é passageira, que nosso lugar, nossa morada, nosso lar não é nesse mundo.
Quando eu chegar onde estou indo
Vão ter apenas lágrimas alegres
Vou deixar todo pecado e lutas
Que tenho carregado todos esses anos
E vou deixar meu coração aberto
Vou amar e não ter medo
Quando eu chegar onde estou indo
Não chore por mim aqui embaixo
(...)
Tanta dor e tanta escuridão
Nesse mundo nós passamos
Todas essas perguntas que não posso responder
Tanto trabalho a fazer
Mas quando eu chegar onde estou indo
E vê o rosto do meu Criador
Ficarei para sempre na luz
De Sua graça maravilhosa
E vocês? Pensam sobre essa fase da vida ou procuram evitar o inevitável???



*Recebi esse livro gratuitamente através do Programa BookSneeze®  especificamente para esta resenha.