Georgic Stories, de Mariko Nagai

ESCRITOR ORIENTAL




Título: Georgic Stories
Autora: Mariko Nagai
Editora: BKMK Press
Ano: 2010
Páginas: 163



Os autores asiáticos que tive oportunidade de ler, assim como os filmes de mesmo cunho que vi até hoje, possuem uma melancolia tão dolorosa que me arrancam lágrimas e deixam minha alma pesada, sofrendo e angustiada.
Não foi diferente com o livro de Nagai. Georgic é composto por narrativas curtas, mas que carregam todo um peso emocional difícil de esquecer.
A temática variada, possui uma invariável: a relação do homem com a terra em diferentes Eras da História Japonesa.

O título do livro vem da expressão Geórgicas, quatro livros que foram escritos por Virgílio e se caracterizam pelo tema da agricultura. Em outras palavras (as minhas), sabe Os Lusíadas? Uma história em poemas? Pois é, essa é uma das principais características dessa forma de narração.

A autora não utiliza o mesmo recurso o tempo todo, e nem são prosas poéticas quase impossíveis de  ler. As histórias são rápidas e muitas vezes não providenciam nem mesmo o nome dos personagens, mas você sabe que eles são reais, e que até mesmo poderiam ser você mesmo.

  • Grafting (Enxerto): Uma vila sofrendo com a falta de chuvas e consequentemente a falta de alimentos tem que abandonar os idosos nas montanhas para que a comida possa render para os que ainda podem trabalhar. (Baseado no conto popular japonês "Ubasute-ya-ma" (A Montanha Onde Você Abandona Sua Velha Mãe).
  • Autobiography (Autobiografia): O desespero de uma mãe que numa tentativa de salvar a vida da filha, a vende na fronteira. (Baseado nas condições de vários colonos da Manchúria no fim da Segunda Guerra Mundial, quando a União Soviética quebrou seu tratado com o Japão e atacou a fronteira da região, e esses colonos foram abandonados à própria sorte).
  • Bitter Fruit (Fruto Amargo): A única protagonista do livro que tem um nome, Macaca, é uma jovem feia vendida à prostituição pelos pais para escapar da miséria de sua vila natal.
  • Confession (Confissão): Uma mãe viúva é presa por um crime que ela não faz ideia qual é. (Baseado nos julgamentos de crimes de guerra após a derrota do Eixo. Mais de mil pessoas foram executadas por crimes cometidos contra soldados Aliados tanto na Alemanha quanto no Japão quando a guerra terminou).
  • How we touch the ground, how we touch (Como tocamos o chão, como tocamos): Retrata um grupo de cristãos japoneses que precisa trair sua fé para que os mesmos se mantenham vivos. (Baseado na história dos cripto-cristãos japoneses que tiveram que se ocultar quando o Cristianismo foi banido no Japão no século XVII).
  • Georgic: O que uma pessoa é capaz de fazer para não morrer de fome? O que você é capaz de fazer para não morrer de fome?
  • Fugue (Fuga): O mais "poético" dos textos, retrata duas realidades, os pobres famintos por comida e os ricos famintos por amor verdadeiro.
  • Love Story (História de Amor): Três pequenas histórias independentes compõem essa narrativa: O amor de dois jovens separados pela morte; o amor de um garoto pela menina da família de leprosos que não pode se misturar com as outras pessoas da vila; o amor impossível de um rapaz de uma casta inferior por uma mulher considerada superior.
  • Song (Canção): A crueldade e realidade da guerra, onde soldados executam indiscriminadamente homens, mulheres e crianças.
  • Drowning Land (Terra Afogada): Um garoto dorme e sonha por três anos. Ele vai encontrar a resposta necessária para salvar sua vila quando ele acordar? (Baseado livremente em um conto de fada japonês chamado "Sannen Netarou" [Taro Que Dormiu Por Três Anos], sobre um menino que dorme por 3 anos e ao acordar vai da pobreza à riqueza).

SOBRE A AUTORA:
Mariko Nagai nasceu em Tókio e foi criada na Europa e América. Obra publicada anteriormente: Histories of Bodies (Poemas).


Até a próxima leitura!

This entry was posted in ,,. Bookmark the permalink.
Tecnologia do Blogger.

Ads 468x60px