17 de agosto de 2012

Long Lankin, de Lindsey Barraclough

TERROR / HORROR / SOBRENATURAL




Título: Long Lankin
Autora: Lindsey Barraclough [como pronuncia?]
Editora: Random House
Ano: 2011
Páginas: 455 [Oo]


 Beware of Long Lankin, that lives in the moss. . . .When Cora and her younger sister, Mimi, are sent to stay with their elderly aunt in the isolated village of Byers Guerdon, they receive a less than warm welcome. Auntie Ida is eccentric and rigid, and the girls are desperate to go back to London. But what they don't know is that their aunt's life was devastated the last time two young sisters were at Guerdon Hall, and she is determined to protect her nieces from an evil that has lain hidden for years. Along with Roger and Peter, two village boys, Cora must uncover the horrifying truth that has held Bryers Guerdon in its dark grip for centuries -- before it's too late for little Mimi. Riveting and intensely atmospheric, this stunning debut will hold readers in its spell long after the last page is turned.

É, geralmente eu fico vários dias pensando sobre os livros de terror que leio (quando leio), mas nesse caso eu já estava era cansada de tão, tão longo que Long Lankin é. Tá certo que algumas partes são imprescindíveis, mas certas coisas não adicionaram nada à história, como por exemplo quando eles estão tomando sorvete. Nada acontece por causa daquele momento, a não ser que Cora estivesse pensando em como era legal ter uma família "normal".

Agora, pegue uma cidade do interior da Inglaterra em 1958, uma casa isolada em uma colina, uma igreja semi-abandonada, um cemitério e superstições. Adicione crianças como protagonistas e, voilá, você tem o enredo de Long Lankin.
E para aqueles que acham que é apenas no Brasil que as histórias e canções infantis são assustadoras, a cantiga sobre Long Lankin (versões encontradas na Escócia, Inglaterra e Estados Unidos) prova o contrário. É tão aterrorizante para as crianças quanto a Cuca, o Saci e o boi da cara preta.
As versões variam, mas é sobre o assassinato de uma mulher e seu filho bebê, cometido por um homem, ou um demônio, ou um monstro.
No livro a autora decidiu ficar com a versão de que Lankin era um homem muito alto que sofria de lepra, e após cometer o assassinato do bebê com a ajuda da ama do mesmo, considerada uma bruxa, ele foi enforcado depois que a bruxa-ama foi queimada na fogueira. Um padre decide dar um enterro "decente" a Lankin, mas acaba lhe proporcionando a imortalidade sem saber. Com isso, ao longo das décadas, Lankin precisa de crianças pequenas para continuar sobrevivendo.

Cora precisa salvar sua irmãzinha Mimi, já que Lankin começou a caçá-la. O problema é que ela não faz ideia do que realmente está acontecendo e sua tia que sabe a verdade não parece muito disposta a esclarecer nada.  
Será que Mimi vai se tornar mais uma das muitas vítimas de Long Lankin ou Cora vai descobrir a verdade a tempo de salvá-la?

"Meu senhor disse à minha senhora ao montar em seu cavalo
'Tenha cuidado com Long Lankin que vive no musgo'
(...)
Que todas as portas sejam trancadas e todas as janelas parafusadas
E não deixe nem mesmo um buraco para um rato passar
(...)
Vamos afinetá-lo, vamos alfinetá-lo por todo o corpo com uma agulha
(...)
Então ele o alfinetou, ele o alfinetou por todo o corpo com uma agulha
E a ama segurou a bacia para que o sangue caísse dentro
(...)
Aqui tem sangue na cozinha, aqui tem sangue no corredor
Aqui tem sangue nas escadas onde minha senhora caiu."
(Tradução livre de trecho da canção)

Eu hein, prefiro o boi da cara preta, me assusta bem menos que isso aí. 
E vocês, já ouviram falar sobre Lankin? Qual canção infantil assustadora vocês costumavam cantar e/ou ouvir?

Até a próxima leitura!
  • Stumble This
  • Fav This With Technorati
  • Add To Del.icio.us
  • Digg This
  • Add To Facebook
  • Add To Yahoo