30 de abril de 2013

The Sky Beneath my Feet, de Lisa Samson

Título: The Sky Beneath my Feet*
Autora: Lisa Samson
Editora: Thomas Nelson
Ano: 2013
Páginas: 320
Histórico
Comprar: Amazon / ChristianBook


Being married to a saint isn't what it's cracked up to be.

Beth's husband won't be joining the family on vacation at the beach this year. He's not even joining them in the house. Instead, Rick has holed up alone in the backyard shed. Nobody knows exactly what he's up to. Maybe he's immersing himself in prayer. Maybe he's lost his mind. Maybe he's even the modern-day prophet or the saint the neighborhood artist imagines him to be. But while "St. Rick" waits for an epiphany, Beth will have to figure out what to do with herself and their teenage sons, possibly for the rest of her life.

What happens next is both uproarious and bittersweet: a peace march turns violent, her son is caught with drugs, and she embarks on an ambitious road trip that turns into something nearly surreal. Will Beth rediscover the idealistic woman she used to be, once upon a time? Can her marriage survive Rick's backyard vigil? Will anything ever be the same? And should it be?



Iniciando esse livro, eu decidi que é um saco ser mãe de adolescentes. Tenho que dar os parabéns pra minha mãe por ter passado por isso três vezes.
A história é sobre uma mulher de meia-idade que começa a se questionar sobre quem ela seria se tivesse seguido o plano que ela tinha traçado antes de tudo mudar. Quem ela teria se tornado?
Engraçado que uns dias antes de começar a ler esse livro, eu também estava pensando a mesma coisa. Quem eu teria me tornado se tivesse tomado outra decisão, se tivesse feito outra escolha? O assustador? É que aparentemente essas perguntas não querem esperar eu completar 50 anos.
Nesses quase 30 anos, tenho a sensação de que já poderia ter vivido pelo menos cinco vidas diferentes da que estou vivendo, mas... e se em cada dessas vidas eu continuasse me perguntando a mesma coisa?

Pois é, no fim das contas Beth compreende que o que ela se tornou é quem ela é, e que ficar paralisada com medo de sair da zona de conforto poderia atrofiar os sonhos que porventura nasceriam da vida que ela estava vivendo. Claro, levou um livro inteiro pra ela aprender isso da mesma forma que para nós, "personagens da vida real" pode levar muitas décadas, uma vida inteira, ou até nunca percebermos a verdade e morrermos insatisfeitos.

"Quando você envelhece, quando sua memória começa a falhar, você olha pra trás e percebe que todos aqueles anos que você gastou em antecipação foram na verdade os melhores anos da sua vida. Enquanto você estava esperando por coisas melhores, elas já eram as melhores, e que a partir daquele momento em diante a vida só iria descer ladeira abaixo." (tradução livre, p.91)

O livro também explora a dificuldade dos relacionamentos familiares e do relacionamento com Deus. Assim como um casal acaba se acostumando um com outro com o passar dos anos, o que pode causar monotonia e enfado, o mesmo pode acontecer no nosso relacionamento com Deus. Beth e Rick, seu esposo, estão buscando a reconexão com Deus de maneiras diferentes, o que causa muito mais complicação do que solução na primeira parte do livro. E consequentemente, eles se afastam mais um do outro do que se unem.
A forma como a autora tratou os assuntos centrais do Cristianismo foi interessante, ela mostrou as falhas no nosso sistema religioso e o que realmente significa ser cristão no mundo que com certeza não é apenas colocar um "peixinho de Jesus" no carro (piada interna da história).

Então, gente, vocês acham que a vida é sobre ter um senso de propósito/objetivo desde de sempre OU fazer o melhor com as oportunidades que surgem à nossa frente?




* Recebi esse ebook gratuitamente através do Programa BookSneeze®  especificamente para esta resenha.

8 de abril de 2013

The Widow of Saunders Creek, de Tracey Bateman

Há quem acredite em fantasmas e que as pessoas mortas podem voltar para se comunicar com os vivos.
As novelas, filmes e livros estão aí mesmo, não só pra assustar, né Mr. Stephen King, mas para questionar: e se for verdade?
Quem já viu O Sexto Sentido, O Chamado ou o clássico da Sessão da Tarde Ghost: do outro lado da vida (só para citar três), sabe que a temática gira em torno de almas de mortos que ainda precisam resolver umas paradas neste plano físico antes de seguirem na direção daquela "luz". Gente, existem até reality shows sobre o assunto!!!

Mas e vocês? Será que vocês acreditam que os mortos podem "voltar" para o lado de cá ou se comunicar com os vivos?
Minha resposta é não! E se vocês quiserem provas, eu explico os princípios do que acredito. Existe um plano espiritual aqui nesse mundo sim, mas não são as almas dos mortos que habitam por lá. Na verdade, há controvérsias sobre onde os mortos estão nesse exato momento.
Então se vocês já presenciaram coisas "estranhas" como vozes sussurrando, portas batendo sozinhas, coisas assim, cuidado para não fazer como a protagonista desse livro e achar que alguém do outro lado está tentando dizer alguma coisa. Bom, na verdade, alguém / alguma coisa está fazendo essas coisas sim, mas não é quem / o quê você pensa que é.

No caso da Corrie Saunders, ela acredita que a alma de seu esposo voltou para a casa onde passou a infância porque ele morreu antes da hora. 
Sinceramente? Como seres humanos que somos, a gente sempre vai achar que as pessoas que amamos morrem antes da hora "certa", principalmente quando envolve uma morte violenta ou acidental.
O livro também vai tratar de outros assuntos que fazem parte de nossas vidas: perdas, relacionamentos familiares e, principalmente, segundas chances.


Título: The Widow of Saunders Creek*
Autora: Tracey Bateman
Editora: WaterBrook
Ano: 2012
Páginas: 320
Comprar: Amazon / ChristianBook
Histórico de leitura



A grief that knows no boundary.
A love without any limit.
A need that doesn’t end at death. 

Corrie Saunders grew up in a life of privilege. But she gave it all up for Jarrod, her Army husband, a man she knew was a hero when she vowed to spend her life with him. She just didn’t expect her hero to sacrifice his life taking on an Iraqi suicide bomber. 

Six months after Jarrod’s death, Corrie retreats to the family home her husband inherited deep in the Missouri Ozarks. She doesn’t know how to live without Jarrod—she doesn’t want to. By moving to Saunders Creek and living in a house beloved by him, she hopes that somehow her Jarrod will come back to her.

Something about the house suggests maybe he has. Corrie begins to wonder if she can feel Jarrod’s presence.

Jarrod’s cousin Eli is helping Corrie with the house’s restoration and he knows that his dead cousin is not what Corrie senses. Eli, as a believing man and at odds with his mystically-oriented family members, thinks friendly visits from beyond are hogwash.  But he takes spirits with dark intentions seriously. Can he convince Corrie that letting go of Jarrod will lead to finding her footing again— and to the One she can truly put her faith into?  




*Recebi esse livro gratuitamente do WaterBrook Multnomah Publishing Group para essa resenha.