19 de dezembro de 2013

Redeeming Love* (Amor de Redenção), de Francine Rivers



Editora: Multnomah
Ano de lançamento: 1991
Ano da edição: 2013
Páginas: 464


California's gold country, 1850. A time when men sold their souls for a bag of gold and women sold their bodies for a place to sleep.

Angel expects nothing from men but betrayal. Sold into prostitution as a child she survives by keeping her hatred alive. And what she hates most are the men who use her, leaving her empty and dead inside.

Then she meets Michael Hosea. A man who seeks his Father's heart in everything, Michael obeys God's call to marry Angel and to love her unconditionally. Slowly, day by day, he defies Angel's every bitter expectation, until despite her resistance, her frozen heart begins to thaw.

But with her unexpected softening come overwhelming feelings of unworthiness and fear. And so Angel runs. Back to the darkness, away from her husband's pursuing love, terrified of the truth she no longer can deny: Her final healing must come from the One who loves her even more than Michael does ... the One who will never let her go.



Eu e "Redeeming" nos vimos pela primeira vez em meados de 2004. Ele estava sendo lido por uma americana durante uma viagem missionária que eu estava participando. Nessa época eu ainda não lia livros em inglês, mas mesmo assim eu queria aquele livro.

O primeiro reencontro só aconteceu em maio de 2011 graças à biblioteca. Li compulsivamente fazendo apenas as paradas obrigatórias para dormir, trabalhar e banhar (comer e usar o banheiro contam como tempo de leitura). Ao terminar não consegui escrever a respeito, não quis escrever, ele foi colocado na lista de "futuras compras". Por várias vezes, eu quase comprei, mas sempre algo acontecia e não dava certo.
Em setembro desse ano, fazendo a escolha que a editora me ofereceu para resenhas ao bater os olhos em "Redeeming" eu sabia que o segundo reencontro aconteceria.

Para quem não conhece a história de Oséias, eu aconselho a ler, já que ele é um dos profetas menores, então não demora tanto, mas não é obrigatório, você consegue entender Redeeming Love muito bem mesmo sem nunca ter lido o livro de Oséias. Porém, com esse contexto fica mais fácil compreender de onde o enredo vem.
Então, de forma superficial podemos achar que é só uma ficção baseada no casamento simbólico de Oséias e Gomer, uma história de amor que é praticamente uma novela com traição, perdão, traição de novo, e por aí vai. Se alguém já leu o Velho Testamento da Bíblia, vai entender essa analogia que representa o amor de Deus pelo povo de Israel.
Se trouxermos para a atualidade, podemos dizer que é a representação do amor de Deus pela humanidade. Um amor que nunca desiste e que sempre está disposto a perdoar e redimir.

Foi apenas nessa segunda leitura que percebi que eu poderia ser Angel. E também poderia ser Paul (que foi um personagem que odiei na primeira leitura). E aí me atingiu em cheio: O livro de Oséias e Redeeming Love também é uma representação do amor de Deus por Aline.
A Aline que acha que pode controlar sua própria vida. A Aline que é capaz de virar as costas para Ele para seguir sua própria vontade. A Aline que em sua busca por "amor" acabou abandonando o amor mais puro e real que alguém já teve por ela.

Depois de muito tempo e muita dor, Angel encontra o único amor capaz de redimi-la. Aline também espera ser redimida para que possa fazer da canção abaixo sua declaração de amor verdadeiro.




LEIA TAMBÉM:
Free to be me
Fechei com Ele
Belbellita




*Recebi esse livro gratuitamente do WaterBrook Multnomah Publishing Group para essa resenha. 
  • Stumble This
  • Fav This With Technorati
  • Add To Del.icio.us
  • Digg This
  • Add To Facebook
  • Add To Yahoo